O diálogo é sempre um excelente caminho para solucionar situações. No universo corporativo, a cultura de feedback é uma ferramenta fundamental para estimular o lado positivo da comunicação, deixando as trocas mais proveitosas. Além disso, ela ajuda a identificar e corrigir erros, fazendo com que os colaboradores se alinhem aos objetivos da empresa.

Em geral, a cultura de feedback é implementada pela liderança corporativa, mas o ideal é que ela alcance todos os membros da equipe. Neste artigo, apresentaremos alguns pontos importantes para inserir essa estratégia na sua empresa e garantir que as críticas negativas sejam substituídas por retornos completos que valorizem os pontos positivos e apresentem outras questões com respeito. Boa leitura!

Elabore um planejamento prévio

Antes de dar um feedback, pense no que você pretende falar. Diferentemente de uma cultura de elogio, a ideia não é simplesmente transbordar positivismo (assim como também não é fazer críticas ou comentários ofensivos). Para que o processo não saia do propósito, tente:

  • separar as questões pessoais dos pontos que você pretende trabalhar;
  • levantar os pontos positivos;
  • enumerar todas as falhas e desafios que precisam ser observados e solucionados.

Defina a estrutura de feedback ideal

Alguns cargos da empresa devem lidar constantemente com a criação de feedbacks. Um gestor de RH, por exemplo, pode precisar dar um retorno para muitos colaboradores, e o ideal é que haja um modelo para facilitar a formulação dos feedbacks. Existem muitos modelos, a ideia é criar algo que seja coerente para o seu trabalho.

Para um feedback ser claro, é importante contextualizar a pessoa sobre a situação que aconteceu (onde e quando), qual foi a ação que gerou a necessidade do feedback (ou a falta dela) e as consequências da atitude que foi tomada.

Crie um ambiente adequado

Imagine que seu funcionário está fazendo cópias ou no local do cafezinho e recebe um feedback. A tendência é que a ação gere efeitos contrários, como a negação dos fatos e um fechamento para corrigir o comportamento que deveria ser analisado. Por isso, é importante observar onde é mais adequado fazer esse tipo de intervenção. Apesar de o contato olho no olho ser importante, os cenários digitais também podem ser uma opção.

Mostre o reconhecimento

Feedbacks não significam apenas críticas. Aproveite o momento para elogiar algo que o funcionário tem feito e funciona muito bem. As pessoas já têm uma tendência a se fechar para chamadas de atenção. Então, não use esse espaço apenas para criticar, condicionando o feedback a esse tipo de situação. Reconheça o que vem dando certo.

Ofereça feedbacks em grupo e individual

Algumas questões são de responsabilidade individual, outras de todo o time. Saiba separar um tipo de feedback do outro e apresente as devolutivas nos dois âmbitos separadamente. Assim, os feedbacks coletivos ganham um fôlego a mais, e a equipe estará empenhada em solucionar as questões em grupo.

Para facilitar nos processos de feedback contínuo, engajar equipes e reter talentos, o ideal é incluir ferramentas que otimizem o processo. O Performa 5, por exemplo, é uma ferramenta oferecida pela MicroPower que integra as várias técnicas de avaliação (90, 180 e 360). Ele facilita a execução de metodologias de avaliação como o conceito nine box , além de oferecer soluções inovadoras como o Performa Talks.

Viu como a cultura de feedback pode ser implementada com facilidade? É importante observar que esse tipo de estratégia não deve ser usada apenas para apontar erros. Além disso, é essencial que as lideranças estejam receptivas para receber feedbacks e tomar resoluções a partir desses comentários. Essa é uma forma eficiente de valorizar essa mentalidade e fazer com que os outros a adotem com maior facilidade.

Se você gostou deste texto, recomendamos também a leitura do nosso artigo com 7 dicas de como dar feedback para os funcionários!

Preparado para impulsionar a performance de sua equipe?