Logotipo da MicroPower

Seu site é acessível?

Imagens de pessoas fazendo sinais de libras

No Brasil, milhões de pessoas com deficiência não conseguem acessar sites e Apps por encontrarem barreiras que dificultam o seu acesso a informações básicas. Para isso, todas as informações de uma página (inclusive imagens) devem apresentar alternativas em texto e com acesso à navegação via teclado, além de obedecer aos critérios mínimos de contrastes e tamanho de fontes. A jornada deve apresentar interface intuitiva e clara, com conjunto de ícones que facilitem o acesso para pessoas com dificuldade de interpretação de textos complexos, não letrados e idosos, que hoje em dia estão cada vez mais conectados e fazem usos das tecnologias disponíveis.

Saiba como a MicroPower pode te ajudar

A solução de análise de acessibilidade da MicroPower visa detectar barreiras de navegação via teclado e propor alternativas para todos os elementos presentes em uma jornada, bem como atender aos critérios mínimos de contrastes e tamanhos de fontes e que imagens tenham as suas devidas descrições em texto. Isso permite que tecnologias assistivas leiam essas informações para as pessoas com deficiência visual total, bem como pessoas com baixa visão possam utilizar ampliadores de tela para facilitar a identificação do conteúdo, além de não apresentar barreiras para quem tem dificuldades ou não conseguem utilizar o mouse.

Por que
deixar um
site acessível?

 

Um site acessível representa o cuidado com a responsabilidade social, que impacta diretamente na imagem de sua empresa.

Tornando seu site acessível, cria-se uma vantagem competitiva em seu segmento, pois amplia a gama de clientes impactados com o seu negócio.

Mantém os canais digitais em conformidade com a Lei Brasileira de Inclusão, que promove acesso à informação e à comunicação.

Ter um site que não esteja nos padrões web pode custar acessos a menos. Por isso, a acessibilidade torna o site mais organizado e auxilia os mecanismos de busca a encontrarem sua página.

Oportunidade para atender a um público de milhões de pessoas que podem acessar o seu conteúdo de forma democrática e que precisam de atenção para terem acesso equivalente.

Uma boa experiência de acessibilidade também é tornar o seu conteúdo responsivo, tendo em vista que segundo pesquisas, cada vez mais os acessos estão sendo feitos por meio de dispositivos móveis.

 

Como é feita a Análise de
Acessibilidade?

Documentação e especificação

A primeira parte da análise deve ser feita em conjunto com as equipes de UI, UX e design durante a elaboração da documentação de especificações das jornadas do usuário. Gerando assim, um documento com todas as descrições de todos os elementos presentes na jornada, baseadas nas diretrizes da WCAG 2.1

Validação Técnica e Semântica

Após o desenvolvimento, duas validações são executadas: uma análise técnica feita por validadores automáticos de sistemas, que fazem a detecção de possíveis erros no código. Em seguida, uma validação semântica com leitores de telas e validação humana, para garantir comodidade e a melhor experiência ao usuário.

Validação das correções

Após as correções aplicadas um novo teste é efetuado para confirmar se as alterações sugeridas foram aplicadas e se novos defeitos possam ter surgido. Esse processo será repetido até que todas as solicitações tenham sido atendidas.

Acessibilidade:
um Direito e um Dever

Depois de mais de 12 anos de tramitação no Congresso Nacional, a Lei Brasileira de Inclusão (LBI – Lei 13.146/15) foi sancionada em julho de 2015 e entrou em vigor em janeiro de 2016. A lei promove mudanças significativas em diversos campos (educação, saúde, mobilidade, trabalho, moradia e cultura) e o acesso à informação e à comunicação é um de seus grandes progressos. Agora, todos os sites devem estar acessíveis:

 

“Art. 63. É obrigatória a acessibilidade nos sítios da internet mantidos por empresas com sede ou representação comercial no País ou por órgãos de governo, para uso da pessoa com deficiência, garantindo-lhe acesso às informações disponíveis, conforme as melhores práticas e diretrizes de acessibilidade adotadas internacionalmente.”

MicroPower: Há 25 anos capacitando e incluindo pessoas com deficiência visual

Há 25 anos, a MicroPower oferece serviços que permitem que as organizações transformem seus sistemas web e sites em ambientes acessíveis pela comunidade de pessoas com deficiência visual, permitindo sua inclusão de forma definitiva na sociedade digital e no mercado de trabalho, por meio da utilização do computador como ferramenta. Contamos com uma equipe altamente qualificada, incluindo colaboradores com deficiência visual, que conhecem as reais necessidades dos usuários para a realização desse serviço, treinamentos in-company e projetos online de capacitação e empregabilidade de pessoas com deficiência visual.

Virtual Vision

Conheça mais sobre os 25 anos de história do Virtual Vision e do Programa de Capacitação e Empregabilidade para Pessoas com Deficiência Visual neste e-Book exclusivo.