A transformação digital trouxe novos padrões para a gestão de uma empresa. Se antes existiam questões como as barreiras geográficas para negócios com várias filiais ou a necessidade de estar presente para entender o que acontece, hoje temos diversos recursos que otimizam a gestão de performance. Assim, é possível entender o desempenho dos seus colaboradores.

Além disso, é possível aprofundar essa leitura, identificando pontos fortes, fracos, cruzar dados e analisar o cenário da empresa de forma concreta e, até mesmo, em tempo real. Se antes a elaboração de relatórios e números demandavam tempo para coleta, tabulação e montagem de apresentações, hoje é algo que você pode automatizar.

Então, o que continua sendo o grande diferencial que simplesmente define algumas empresas com alta gestão de performance? Inteligência! Entender como funciona e desenvolver a estratégia certa. É assim que várias marcas têm conseguido acompanhar seu público interno, difundir a cultura organizacional e ter as melhores práticas de gestão de performance.

Se você gostou desta ideia e quer otimizar o desempenho do seu negócio, continue o texto. Neste artigo, explicaremos sobre a gestão de performance, suas vantagens e como implementar. Boa leitura!

O que é a gestão de performance e por que ela é tão importante?

O gerenciamento de performance está ligado ao acompanhamento da rotina da empresa, tanto na relação com o desempenho de cada funcionário e setor quanto no monitoramento dos processos que envolvem o fluxo de trabalho. Para isso, são definidos KPIs (indicadores-chave de performance) coerentes com o foco de observação.

A ideia é analisar, mas principalmente alinhar os diversos setores da empresa de acordo com os objetivos determinados, fazendo com que as metas fiquem claras, permeando todos os níveis hierárquicos da empresa. Dessa forma, o trabalho acontece de maneira mais eficiente e otimizada, garantindo uma redução de custos, tomadas de decisão inteligentes e foco no objetivo estratégico da empresa.

Com a gestão de performance você também consegue uma comunicação mais fluída, transparência e alinhamento dos objetivos da empresa com a atuação dos funcionários. Essa é também uma estratégia que se enriquece com a tecnologia como softwares que contam com BI (business intelligence) e inteligência artificial.

Importância da gestão de performance

A relação entre a gestão de performance e a produtividade é muito forte. Além disso, existem inúmeros outros benefícios dessa estratégia. Implementá-la no seu negócio é importante por diversos motivos. Afinal, sua essência está em contribuir para o melhor desempenho da empresa.

Integração

Independentemente do tamanho, pontos da empresa distribuídos em vários lugares do país e do mundo e complexidade da estrutura (com diversos setores e níveis hierárquicos), é fundamental ter uma visão global e conseguir ampliá-la acessando cada ponto. Com a gestão de performance, você conecta seus diversos times de forma verdadeira, integrando e alinhando os setores necessários.

Indicadores estratégicos

Quais são as métricas mais importantes para a sua empresa? E para acompanhar seus colaboradores de maneira eficiente? A gestão de processos automatiza, usando a transformação digital para que você consiga analisar um grande volume de dados com o mínimo de esforço e a maior precisão possível.

Acompanhamento de mudanças

Uma instituição é um organismo vivo. Podem surgir mudanças da cultura da empresa quando a marca decide trazer um novo posicionamento no mercado, mas também podem acontecer quedas de produtividade, processos obsoletos, setores que não estão operando na melhor performance.

Se você tem um acompanhamento constante do desempenho do negócio, conseguirá auxiliar nesses momentos, contribuindo para que tudo ocorra de maneira eficiente.

Relacionamento da marca

Além dos impactos na rotina interna da empresa, uma gestão também é importante para identificar como os setores que têm contato direto com a sua audiência (como atendimento e vendas) estão atuando. Assim, você pode melhorar processos, enriquecendo a experiência com o seu público.

O que é preciso saber acerca da gestão de performance?

Existem algumas características e dicas fundamentais para quem deseja implementar essa gestão. Confira a seguir os pontos-chave para observar e conseguir desenvolver um gerenciamento de sucesso.

Fique de olho para escolher os indicadores certos

A gestão de performance está ligada aos KPIs (indicadores-chave de performance) e, para ter bons resultados (até mesmo para aprimorar o feedback), você precisa se basear em informações estratégicas, confiáveis e coerentes ao objetivo analisado. Veja alguns indicadores que sua gestão pode contar:

  • estratégia — o ponto de partida para a escolha dos principais indicadores, é por meio de um cruzamento de informações sobre o posicionamento da empresa e o que ela pretende alcançar que você definirá uma grande meta (porém bem específica), por exemplo: se tornar uma referência no segmento X;
  • RH — para otimizar a gestão de pessoas, algumas métricas do RH são essenciais. Isso vai desde análises do processo de contratação e fit cultural, além de outras métricas relacionadas à rotatividade de funcionários;
  • marketing e qualidade — neste caso, o objetivo não é tanto entender as taxas de conversão e ROI, mas o quanto seus colaboradores gastam em energia e dinheiro para gerar receita. Assim, métricas como CAC (custo de aquisição do cliente) e NPS (satisfação do cliente) podem ser essenciais de acordo com o objetivo da análise;
  • conversão — as vendas também estão ligadas ao desempenho, são o fôlego do negócio e você pode otimizar a performance descobrindo informações como o tempo para fazer uma venda, ticket médio e LTV (lifetime value).

Entenda quais são os principais erros que as empresas cometem

Por ser uma gestão que tem ficado cada vez mais popular, é comum que as pessoas tentem implementar na empresa e cometam alguns erros recorrentes.

Esquecer de ajustar o objetivo

Tudo bem, pode ser que uma empresa precise de treinamentos inovadores para transmitir uma nova metodologia. Porém, qual é a meta mesmo? Precisa ser algo claro, por exemplo, capacitar todos os vendedores para que usem o novo software da empresa.

Em alguns casos (que envolvem números mais ousados como a taxa de conversão), é preciso ter atenção para que a meta seja realista, nem muito fácil, nem muito difícil.

Não alinhar as métricas com o objetivo

Voltemos no exemplo de treinamento do software para os vendedores. Será que avaliar a estratégia de aprendizagem. Para isso, é viável observar a quantidade de leads captados pelo marketing faz sentido? Provavelmente não. As métricas ideais deverão estar relacionadas com a comprovação de que os funcionários realmente conseguem operar o software.

Talvez seja possível verificar isso analisando os benefícios propostos como redução das etapas de vendas, melhoria no timing do contato, diminuição das perdas de vendas e aumento na satisfação da experiência de compra.

Manter uma cultura de medo

O diálogo é fundamental para uma gestão de performance. Surge uma visão abrangente, possibilitando o aprimoramento dos fluxos de trabalho. Entretanto, não tem como nada disso acontecer se não houver uma comunicação clara e que aponte a importância do trabalho em equipe. É preciso ter reuniões periódicas tanto para passar informação quanto para coletar os feedbacks do grupo.

Outro ponto que impede a cooperação é a sobrecarga das lideranças, pressionando a entregar resultados. O foco excessivo em números pode cegar estes executivos a ver soluções humanas.

Não conseguir a participação dos gestores

É preciso que todos estejam envolvidos e isso significa a participação de executivos, a presença deles. Se há um objetivo alinhado com as metas da empresa, é importante que a diretoria mostre o quanto se preocupa com o trabalho em equipe e esteja acessível para o público interno.

Conheça outros tipos de gestão para combinar com esta

Apesar de eficiente, a gestão de performance apresenta uma visão geral, abrangente. Outras perspectivas complementares são bem interessantes para compor um olhar sistêmico para a empresa.

Gestão do capital humano

Quais são as principais competências de cada colaborador? Seus funcionários estão na atuação mais produtiva dentro da empresa? Com a gestão do capital humano é possível identificar quais são as qualidades de cada um.

Assim, é possível desenvolver projetos e montar equipes aproveitando habilidades potenciais. Você também pode reconhecer quem se destaca e, é claro, usar os dados para entender o comportamento do seu time.

Plano de sucessão

Por mais que sua empresa tenha uma baixa taxa de turnover, o processo de demissão de funcionários acontece. O plano de sucessão é uma maneira de ter uma leitura sobre quem ocupa determinado cargo atualmente e quem é o potencial sucessor dessa pessoa. Isso garante a manutenção do desempenho, mesmo em situações da ausência de líderes ou cargos chave da empresa.

Como implantar a gestão de performance?

Separamos os principais pontos para desenvolver seu sistema de gestão.

Estabeleça os principais objetivos

A gestão de performance deve estar alinhada ao posicionamento estratégico da empresa. Então, aquilo que define missão, visão e valores precisa ser coerente com o foco, com o que o negócio deseja alcançar. Além disso, é importante que essa informação seja clara para todos os colaboradores.

Se a empresa entende a importância de empoderar seus funcionários, essas diretrizes devem ultrapassar o status de frases bonitas para que fique claro e compreensível para todos o caminho de crescimento definido.

Delegue tarefas

Para que você consiga informações de diversos setores e, até mesmo, lugares diferentes, é importante contar com parcerias para isso. O responsável em alimentar a gestão com as informações necessárias não precisa necessariamente ter um cargo de liderança.

Imagine que seja fundamental monitorar a qualidade dos leads que o pessoal de marketing envia para o time de vendas. A opinião de quem lida diretamente com os contatos pode fornecer um feedback mais efetivo do que o ponto de vista de um supervisor. Além disso, quem for responsável em transmitir as métricas (quantitativas e qualitativas), deve saber:

  • o que observar;
  • qual a periodicidade de análise;
  • de que lugar será coletada a informação;
  • para quem entregar os dados.

Invista na comunicação

Assim como a descentralização para realizar as tarefas referentes à gestão de performance deve acontecer, também é preciso ter canais de comunicação eficientes. Se um funcionário viu uma oportunidade ou percebe uma grande falha, ele deve ter acesso às lideranças da empresa além do seu superior imediato.

Nesse sentido, as lideranças também devem receber treinamentos para ficarem atualizados e alinhados com a cultura da empresa. Essas capacitações também contribuem para que eles consigam aumentar o engajamento dos colaboradores, fortalecendo as conexões e a comunicação dentro da empresa. Se todos estiverem focados em somar com a gestão de desempenho, será mais fácil implementar os processos.

Aposte na tecnologia

Sistemas como o Performa 5 oferecem soluções para que a inteligência desenvolvida para a gestão de performance escale seus resultados usando a tecnologia. Treinamentos pela plataforma LMS (sistema de gestão da aprendizagem, em português). Assim, você consegue acompanhar KPIs estratégicos. Além, é claro, de oferecer capacitações e cursos on-line (ou até mesmo off-line, usando o app).

É muito importante ter as inovações na estratégia da gestão de performance, otimizando sempre 2 grandes características: escala e precisão. Assim, você otimiza os custos tanto para acompanhar o desempenho da empresa, quanto para propor melhorias contínuas.

Escolha métricas relevantes

As métricas de vaidade mais conhecidas em áreas como o marketing digital também podem acontecer em uma gestão. Para sair do generalismo, é importante fazer um levantamento de todos os processos que você deseja analisar e verificar qual a maneira de ter acesso a uma visão completa e atualizada dele.

Um exercício que ajuda nessa documentação é determinar todos os objetivos que você pretende alcançar com a gestão de performance. Eles devem ser de fácil entendimento. Em seguida, é preciso se perguntar: quais são os números que podem ser acompanhados para traduzir o sucesso ou o fracasso desse objetivo?

Assim, você encontrará métricas relevantes para sua gestão de performance. Agora, basta definir a frequência de monitoramento e acompanhar o desenvolvimento do seu negócio.

Monitore os resultados

Neste ponto a sua gestão está estruturada, mas de nada servirão os números sem uma análise. Por isso, agora é hora de montar um dashboard da sua gestão de performance, facilitando que você consiga monitorar todos os KPIs em uma única tela.

Além disso, os relatórios e apresentações são importantes para levar essa informação para outras pessoas. Promova a transparência. A partir de um gerenciamento de dados, dê um retorno para todos os colaboradores da sua empresa, dos que fazem parte do chão de fábrica até executivos.

Promova a melhoria contínua

Implementar a gestão de performance significa ir além de comemorar vitórias e se contentar com derrotas, significa ter o poder em suas mãos de desenhar o caminho para que a empresa alcance seus objetivos. Sendo assim, todo o trabalho só faz sentido quando as ações se desdobram em tomadas de decisão e ações coerentes com o sucesso do negócio.

Além disso, é preciso observar constantemente se os KPIs adotados ainda entregam informações relevantes para o desenvolvimento da empresa.

Quais as vantagens da sua implantação?

Acompanhar o que se passa na empresa é muito importante. Além disso, pode impactar positivamente em diversas áreas. Confira os benefícios de contar com a gestão de performance na empresa.

  • fortalecimento da cultura organizacional — além de ser um fator que contribui para impulsionar a performance da empresa, a cultura contribui para diminuir a rotatividade de funcionários, alinhar a equipe em torno do objetivo estratégico e oferecer uma experiência de marca coerente para o público externo;
  • integração das equipes — algumas áreas da empresa podem competir entre si naturalmente, com uma gestão de performance o objetivo fica claro para todos, fazendo com que um ambiente mais cooperativo seja estabelecido;
  • pessoal capacitado — se a empresa consegue entender onde estão as oportunidades e também as falhas, é possível investir em treinamentos e conseguir os resultados esperados (além de um time atualizado e com boa performance);
  • millennials engajados — transparência, comunicação eficiente e cooperação são alguns dos estímulos que atraem os talentos dessa geração que tem muito a somar (principalmente por ser força jovem, com inovação e criatividade) nas empresas;
  • aumento da produtividade — um grande estímulo para todos os envolvidos é entender de maneira clara e transparente qual é o objetivo da empresa, assim, todos focam para alcançar a meta, se tornando mais motivados;
  • otimização de custos — um meio efetivo de melhorar os resultados da organização é identificando e cortando gastos desnecessários;
  • métricas relevantes — a coleta de informações precisas contribui para a qualidade da análise;
  • processos enxutos — com uma visão abrangente, a gestão de performance permite o desenvolvimento de processos mais eficientes.

Que metodologias otimizam essa gestão?

Algumas técnicas aplicadas na gestão de performance são ideais para que o processo seja mais eficiente. Confira algumas delas!

UCA

Metodologia desenvolvida pela MicroPower, a UCA (Universidade Corporativa Ampliada) tem como foco impulsionar a produtividade com estratégias que transpõe as universidades corporativas tradicionais. O foco está nas pessoas, contemplando o modelo 70-20-10 (70% das competências necessárias são adquiridas pela vivência no ambiente informal do trabalho, 20% pelo acesso aos especialistas e através das redes sociais, e 10% com os cursos presenciais ou online).

O suporte ao desempenho, gestão de conhecimento, soluções educacionais inovadoras e a utilização de vídeos completam o ambiente favorável ao desenvolvimento de talentos, potencializam a obtenção dos resultados esperados e promovem a modernização da Cultura Organizacional.

Os centros de excelência de conhecimento, o apoio consultivo e a utilização das tecnologias atuais e emergentes, entre elas bigdata, machine learning, inteligência artificial e serviços cognitivos, complementam o ambiente de gestão de pessoas. Por meio do feedback permanente e da análise preditiva, eles promovem a permanência dos talentos nas organizações.

Análise SWOT

Acrônimo inglês para forças, fraquezas, ameaças e oportunidades, a análise SWOT (também conhecida em português como FOFA) é uma leitura do ambiente interno e externo. Com o cruzamento desses parâmetros, você encontra os fatores críticos de sucesso. A partir destes dados que será desenvolvido o trabalho.

Em parceria com a gestão de performance, é possível desenvolver um diagnóstico da empresa, além de ser uma excelente ferramenta para ajudar nas tomadas de decisão e entender quais iniciativas terão os melhores resultados para cada situação levantada (que pode passar pela análise).

PDCA

Outra sigla em inglês, PDCA significa Plan (planeje), Do (execute), Check (cheque, monitore), Action (ação, no sentido de propor ações de melhoria de acordo com os resultados). O PDCA se encaixa perfeitamente no momento de melhoria contínua, promovendo também uma análise dos problemas e identificação das possíveis causas.

O PDCA é um processo cíclico, então, o ideal ao implementá-lo é entender qual a frequência do processo e ter consciência de que ele retomará ao início sempre que outro termina.

Gostou de conhecer mais sobre a gestão de performance? Como você viu, essa é uma ferramenta que possibilita uma visão completa da empresa, com uma certa profundidade. Sendo assim, é possível entender sobre a produtividade de setores e, até mesmo, colaboradores. Ao unir a tecnologia com essa estratégia, você ainda ganha em precisão, volume de dados e a possibilidade de acompanhar o desempenho em tempo real.

Cada vez mais será importante que profissionais responsáveis pela gestão de pessoas tenham ao seu alcance números que comprovam suas ações e justificam as tomadas de decisão mais relevantes. Com a gestão de performance, o RH adiciona precisão às suas ações e cuidados com o lado humano da empresa. As tecnologias escalam a análise e ainda possibilitam uma leitura em tempo real das métricas.

Se você gostou deste artigo e quer entender mais como implementar processos na sua empresa ou contribuir com o treinamento da sua equipe, entre em contato conosco! Somos focados em aprendizado e alta performance para empresas, teremos o maior prazer em conversar sobre o assunto!