O objetivo foi levar ao público a reflexão sobre o desenvolvimento de Pessoas frente aos desafios apresentados pela Transformação Digital

O Presidente da MicroPower Technology, Michel Musulin Soeltl e o Diretor de Negócios, Augusto Gaspar, participaram, na quinta-feira, 21 de novembro, do 34° Congresso Brasileiro de Treinamento e Desenvolvimento (CBTD), como palestrantes, com o tema “O Papel do RH na Transformação Digital”.

Durante a palestra, foram mencionados pesquisas e dados sobre o papel do RH frente aos desafios apresentados pela transformação digital e as consequentes demandas por inovação, agilidade e a necessidade de uma reinvenção constante.

Além de abordar a questão da destruição e da geração de postos de trabalho em função da adoção das tão faladas novas tecnologias, como Inteligência Artificial, Robôs e Machine Learning, entre outras.

O futuro é agora

A transformação é a palavra chave do momento. De acordo com os dados apresentados pelo Diretor de Negócios, Augusto Gaspar, um terço das profissões que existem hoje, nos próximos 15 anos não existirão mais. “É preciso se reinventar. Cada vez mais trabalharemos com algo que ainda não existe. 60% dos profissionais, que já estão no mercado, estarão trabalhando em outras atividades”.

De acordo com Gaspar, se olharmos para o futuro, esse percentual é ainda maior. “Duas, em cada três crianças de hoje, trabalharão com profissões que ainda não existem”.

Para ele, o futuro nos reserva coisas boas, mas é preciso se preparar. Afinal, a nova geração já nasce em um mundo digital. E para quem não faz parte dessa geração, é preciso se adaptar.

O RH deve ficar atento a esse movimento que é importante, desenvolvendo o potencial dos colaboradores para a transformação de seus negócios e enfrentar as mudanças do mercado.

Suportando o H do RH

O Presidente da MicroPower Technology, Michel Musulin Soeltl, fez a reflexão com o público sobre a importância de, nesse momento de transformação digital, não esquecer do lado humano e em como desenvolver os talentos para essa nova era.

As transformações só são possíveis quando as organizações dão oportunidades para seus colaboradores evoluírem os processos e alcançarem resultados.

Michel questionou em como se reinventar na automação dos processos e, também, da inclusão de novas ferramentas tecnológicas no dia a dia das organizações, porém não esquecendo que à frente delas estão as Pessoas.

Ele dividiu com os presentes os dados apresentados em um recente congresso, em Las Vegas, que diz que os modelos de avaliação de desempenho tradicionais, aqueles em que o líder se reúne a cada seis meses, ou anualmente com funcionário para dar um feedback, vão acabar.

“É necessário que as empresas implementem, de imediato, o feedback contínuo, a conversa contínua. Afinal, o maior desafio hoje nas empresas é reter talentos. Hoje, a força de trabalho é composta por 50% da geração Y e será, nos próximos 5 anos de 75%. Essa geração não espera um ano para ouvir o que fez de bom, ou o que precisa melhorar. Os milênios necessitam do feedback contínuo, do feedback constante”.

Michel informou que a geração Y, que será a maioria nas organizações nos próximos anos, prioriza o aspecto social. Eles exigem agilidade nas informações e demandam atenção e orientação. E o RH precisa estar preparado para promover e construir modelos de avaliação de feedback contínuo, baseado nas competências que são necessárias para o mundo que nós estamos vivendo hoje.

Veja abaixo um resumo da palestra:

Sobre a MicroPower

Excelência no desenvolvimento de soluções tecnológicas e comprometimento com os Clientes fazem parte do DNA da MicroPower, especialista em apoiar empresas que vivem o desafio da Transformação Digital de seus negócios e que querem implementar e aprimorar processos de Desenvolvimento de Talentos, Gestão de Performance, e-Learning, Acessibilidade para Pessoas com Deficiência Visual e Universidades Corporativas. Desde sua criação, há 25 anos, a MicroPower sempre se diferenciou por apresentar aos Clientes soluções inovadoras e à frente de seu tempo, além de contribuir para promover a evolução do nível de maturidade do mercado.