Com estratégias e técnicas específicas, a teoria das inteligências múltiplas, de Howard Gardner, pode ser a resposta para o sucesso em treinamentos corporativos

A teoria das inteligências múltiplas, proposta por Howard Gardner, em 1983, e publicada pela primeira vez em seu livro Frames of Mind: The Theory Of Multiple Intelligences, revolucionou a forma como entendemos a inteligência.

De acordo com o estudioso, sua base se opõe à ideia de um único tipo dominante de inteligência e, em vez disso, reconhece a existência de inteligências múltiplas, que compõem uma mistura única em cada indivíduo.

Como a maior parte dos indivíduos se destaca em um ou dois campos de inteligência, tendo potencial para melhorar competências nos outros ou não, Gardner aponta que o conhecimento deveria ser compartilhado por meio de diversas modalidades de aprendizagem.

Portanto, ideal seria realizar uma abordagem individualizada para que, assim, fossem incorporados diversos métodos de aprendizagem, os mais indicados de acordo com as habilidades e deficiências de cada um.

Confira as nove inteligências Múltiplas:

Gardner classificou as inteligências humanas em seis categorias, que agora se expandiram para nove e provavelmente se expandirão ainda mais no futuro.

Os nove tipos de inteligência, segundo a teoria de Gardner, podem servir como base para que os responsáveis pela Gestão de Pessoas possam encaixar profissionais nas áreas certas, fazendo com que eles se sintam à vontade e mais aptos para exercer suas funções. Cada uma das inteligências é útil para determinadas atuações.

A lista atual consiste nas seguintes categorias de inteligência:

  • Linguística (habilidades verbais e sensibilidade às palavras)
  • Lógica (habilidades analíticas e numéricas)
  • Espacial (habilidades visuais e de imagem)
  • Corporal – Cenestésica (habilidades físicas)
  • Musical (habilidades rítmicas)
  • Interpessoal (capacidade de responder aos comportamentos e motivações dos outros)
  • Intrapessoal (capacidade de autoconsciência e sintonia com a dinâmica)
  • Naturalista (capacidade de responder à natureza e aos fenômenos naturais)
  • Existencial (sensibilidade e capacidade de refletir sobre os aspectos mais profundos da vida)

Inteligência Linguística

Profissionais mais habilidosos nesse campo: escritores, tradutores, advogados, conteudistas.

Esse tipo de colaborador naturalmente utiliza a língua e a linguagem para entender, absorver e reter informação. Portanto, as atividades de e-Learning mais apropriadas para eles devem incluir narrativas bem elaboradas, discussões e debates (presenciais e online) sobre temas relacionados ao conteúdo. Além disso, é importante indicar links complementares de meios de informação, como blogs, livros e artigos.

Inteligência Lógica

Profissionais mais habilidosos nesse campo: matemáticos, cientistas, contadores, pesquisadores.

Para esse colaborador que gosta de resolver problemas, as atividades de e-Learning mais adequadas devem envolver tarefas de raciocínio lógico, gráficos, tabelas com informações e cenários para análise e interpretação de dados.

Inteligência Espacial

Profissionais mais habilidosos nesse campo: artistas, engenheiros, pilotos, arquitetos.

O talento com que possui a inteligência espacial bem desenvolvida responde muito bem a estímulos como cores, imagens, ilustrações e gráficos, além de jogos e recursos multimídia visualmente atraentes.

A possibilidade de integrar estes elementos em seu curso e-Learning deve ser seriamente estudada para que você seja capaz de atrair esse tipo de audiência.

Inteligência Corporal-Cinestésica

Profissionais mais habilidosos nesse campo: atletas, bailarinos, fisioterapeutas.
Profissionais cinestésicos são entretidos por atividades que utilizem envolvimento físico ou, ainda, que possibilitem a exploração de ambientes virtuais.

Dessa forma, o e-Learning pode explorar interatividades em jogos e simulações que estimulem esse tipo de público a sentir, tocar, mover e manipular objetos.

Inteligência Musical

Profissionais mais habilidosos nesse campo: compositores, professores de música, músicos (inclusive amadores).

Esse tipo de talento precisa ser estimulado por recursos de áudio. As apresentações multimídia são um excelente caminho. Dessa forma, por que não considerar a criação de uma experiência de aprendizado que tenha como base a música para enfatizar conceitos?

Inteligência Interpessoal

Profissionais mais habilidosos nesse campo: educadores, políticos, psicólogos, vendedores, treinadores.

A aprendizagem social é a maneira mais eficaz para conquistar a atenção do talento com inteligência interpessoal bem desenvolvida, que aprende por meio da colaboração e da construção de relacionamentos com seus pares.

O gestor de e-Learning deve incentivá-lo a interagir, trocar ideias e partilhar suas preocupações em discussões online (dentro e fora de redes sociais).

Inteligência Intrapessoal

Profissionais mais habilidosos nesse campo: professores universitários, palestrantes, consultores.

Esse profissional valoriza e concentra-se em aspectos internos de aprendizagem, portanto, está mais propenso a ser motivado quando convidado a explorar e aprender com suas próprias experiências, ou seja, a partir de introspecção e reflexão.

Assim, não hesite em oferecer a ele material para estudo privado, uma vez que irá ajudá-lo a compreender o objetivo a ser atingido e os principais erros ou caminhos a serem evitados.

Inteligência Naturalística

Profissionais mais habilidosos nesse campo: geógrafos, meteorologistas, agrônomos, paisagistas.

Esse tipo de profissional é envolvido por treinamentos criados a partir de conceitos das ciências naturais integrados em simulações interativas presentes em jogos e mundos virtuais.

Inteligência Existencial

A inteligência existencial é muito comum em líderes espirituais, teólogos e filósofos.

Esse tipo de inteligência, ainda pouco aperfeiçoado por muitos profissionais, está relacionado ao desenvolvimento do autoconhecimento e à capacidade de refletir racionalmente ao sentido da vida e a temas espirituais.

A importância das Inteligências Múltiplas na educação corporativa

O conceito das inteligências múltiplas é importante porque se aprofunda na aprendizagem da psicologia e ajuda a reconhecer o fato de que os alunos podem ter diferentes aptidões e preferências de aprendizagem.

Uma pessoa com uma inclinação artística pode realmente não aprender, se comportar, articular ou quebrar avaliações da mesma maneira que uma pessoa com uma mentalidade lógica.

Portanto, dentro das restrições impostas pelas necessidades comerciais ao aprendizado, é importante encontrar uma maneira de personalizar o aprendizado de acordo com a aptidão do aluno.

Na educação corporativa, isso significaria que as pessoas aprenderiam melhor e traduziriam esse aprendizado em desempenho no trabalho, se realmente aprenderem da maneira que gostam.

Vários conceitos, avaliações e resultados de inteligência, quando usados de maneira eficaz, são uma ótima ferramenta para personalizar o conteúdo da aprendizagem de acordo com a aptidão do aluno

Na vida corporativa, pode ser uma ferramenta poderosa para fazer as pessoas aprenderem efetivamente e melhorarem o desempenho no trabalho.