Confira soluções educacionais que revolucionarão a forma de como gerenciamos o Treinamento e Desenvolvimento nas empresas
 
Vivemos em um mundo onde a tecnologia cada vez mais nos dá liberdade e facilidade para executar tarefas sem acompanhamento. E o aprendizado?
Por que precisamos seguir regras, datas e horários? Por que o aluno não pode ter liberdade de aprender, explorar e conhecer com base em sua necessidade?
Durante a sessão sobre Aprendizado Autônomo, no Congresso Learning & Performance Brasil 2018, Michel Musulin Soetl, Diretor Geral da MicroPower e os Líderes da área de Soluções Educacionais da MicroPower conversaram sobre o tema e apresentaram algumas soluções educacionais, que revolucionarão a forma de como gerenciamos o Treinamento e Desenvolvimento nas empresas.
 
O que é Aprendizado Autônomo?
 
Para iniciar o painel de forma clara, nivelando o conhecimento e as expectativas a respeito do que foi discutido, destacamos a definição de autonomia: “capacidade de se autogovernar; direito de um indivíduo tomar decisões livremente; liberdade, independência moral ou intelectual” 
(Fonte: Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, online)
 
Dessa forma, dentro de um processo de Aprendizado Autônomo, é importante perceber que “a autonomia vai se construindo na experiência de várias, inúmeras decisões, que vão sendo tomadas. Ninguém é sujeito da autonomia de ninguém. A autonomia, enquanto amadurecimento do ser para si, é processo, é vir a ser.” 
 
Mas já que a Aprendizagem Autônoma é um processo, como ela ocorre no nosso dia a dia do mundo do trabalho?
 
70% : experiência on the job
20% : interação com especialistas
10% : educação formal
 
Assim, fica claro como algumas necessidades de aprendizagem on the job (como a autocuradoria) e aprendizado junto a especialistas se relacionam com dados estatísticos sobre como utilizamos a internet e mídias sociais, para aprender e compartilhar nossos conhecimentos:
 
97% da população do Brasil está nas mídias sociais promovendo trocas e aprendendo uns com os outros
94% dos profissionais preferem módulos curtos para aprender online
82% dos profissionais querem aprender em seu próprio ritmo
60% dos RHs estão dando mais alternativas de treinamento aos profissionais
(Fontes: “Brazil’s Media Market”. US Media Consulting , 2016 / “Modernising Learning: Delivering Results”. Towards Maturity, 2016)
 
Como as pessoas buscam autonomia na aprendizagem?
 
Talvez você não saiba, mas certamente já praticou a Aprendizagem Autônoma, tanto para coisas simples do seu dia a dia – efetuar um reparo elétrico ou cozinhar uma receita mais elaborada – como também para alguma tarefa do seu trabalho diário, que você não sabia muito bem como concluir. Acompanhe alguns exemplos de como qualquer pessoa busca autonomia em aprendizagem:
 
– Tutoriais e vídeos com passo-a-passo no YouTube
– Grupos de WhatsApp
– Compartilhamento de vídeos
– Consulta a pessoas mais experientes
 
Esse processo constante de busca e compartilhamento deixa claro que o Aprendizado Autônomo é:
 
– Individual
– Social
– Colaborativo
– Informal
– Democrático
– Libertador
 
E essa busca de autonomia está diretamente ligada à necessidade de aprendizado (o quê) + o tempo disponível para este aprendizado (quanto tempo/quando).
 
content + time constrain = self curation
 
Como trazer o conceito de aprendizado autônomo para a realidade das organizações?
 
Trazer uma realidade de Aprendizado Autônomo a qual seu público já está acostumado para aprender coisas do cotidiano para dentro das organizações pode ser extremamente vantajoso, mas traz uma série de desafios
 
Faça o download do Anuário Learning & Performance Brasil 2018/2019 e confira o conteúdo de Aprendizado Autônomo na integra, nas páginas 34,35,36 e 37.