A trilha de aprendizagem nada mais é do que um conjunto de ações integradas, sistemáticas e contínuas que buscam desenvolver pessoas e profissionais. A ideia é unir os interesses de uma empresa com os objetivos dos colaboradores e, assim, atingir os melhores resultados possíveis na execução de suas funções. As suas principais características são a flexibilidade, a experiência que pode proporcionar e a diversidade de estímulo.

A peça chave para o sucesso desse processo é o profissional e, por isso, ele deve ter autonomia para participar da sua criação e incluir as suas expectativas. Para a empresa, isso é essencial, pois ajuda a conhecer as competências necessárias e melhorar a aprendizagem de toda a equipe.

Pensando nisso, fizemos este post para que você saiba como montar uma trilha de aprendizagem customizada para os seus colaboradores, oferecendo a eles qualificação de forma eficiente, dinâmica e flexível. Boa leitura!

Conheça bem o perfil do colaborador

O primeiro passo para montar uma trilha de aprendizagem customizada é conhecer bem o perfil de cada integrante do time. Os objetivos da empresa precisam estar alinhados às necessidades, habilidades, aptidões e ambições do profissional. Estude o seu público-alvo para oferecer a melhor capacitação tanto para a carreira de seu colaborador, quanto para os resultados do seu negócio.

Para isso, avalie as preferências, o comportamento, a competência e o conhecimento da equipe para uma determinada finalidade. Assim, é possível definir a partir de qual ponto cada profissional deverá iniciar a trilha, qual a melhor metodologia de ensino e os cursos mais interessantes.

Além disso, o processo de aprendizagem é otimizado, pois a empresa evita inserir um colaborador em um tema sobre o qual ele já tem domínio, evitando a desmotivação. Também reduz a quantidade de treinamentos desnecessários, aumenta o engajamento e a produtividade da equipe.

Determine os modelos

Há dois modelos para a trilha de aprendizagem: linear e agrupado. O primeiro consiste em um aprendizado sequenciado, em que, para iniciar o próximo passo, é preciso concluir o anterior. Ou seja, a trilha só poderá ser concluída quando todos os passos forem finalizados com sucesso na ordem estabelecida.

Já no modelo agrupado, como o próprio nome diz, as atividades são dispostas em grupos, e o colaborador tem autonomia para decidir qual realizar primeiro. Mas, para concluir a trilha, há um número mínimo de tarefas a serem cumpridas, a depender do que foi estabelecido inicialmente.

A empresa pode escolher o modelo de acordo com os seus objetivos, considerando também o perfil dos colaboradores e os conteúdos oferecidos, a fim de criar uma trilha mais dinâmica e interessante. O modelo agrupado é aconselhável para públicos que têm mais autonomia e facilidade em tomar suas próprias decisões, sendo o modelo linear mais indicado para o primeiro contato.

Escolha as atividades

Após definir o modelo da trilha de aprendizagem, é hora de escolher as atividades. Os conteúdos são muito importantes e devem ser de fato relevantes para os interesses tanto do colaborador como da empresa, mas é importante buscar opções criativas para estruturar o curso e torná-lo mais atrativo e menos maçante. A tecnologia ajuda muito nessa questão, pois oferece uma gama de possibilidades estimulantes e dinâmicas.

Use e abuse de vídeos, áudios e plataformas on-line para aumentar o engajamento e a motivação da equipe. Defina uma metodologia que seja compatível com o perfil do público-alvo e crie um conteúdo criativo, considerando o cenário e a cultura organizacional.

Saiba como mensurar os resultados

A trilha de aprendizagem também deve prever estratégias para mensurar os resultados, definindo o que é o sucesso do treinamento e como metrificar. Afinal, de nada adianta tanto esforço se não for possível analisar o seu efeito, identificar o que funcionou e o que ainda precisa ser melhorado.

Para isso, é preciso estabelecer métricas quantitativas, ou seja, numéricas, para ter uma média de avaliação. E também métricas qualitativas, como feedbacks dos gestores de cada setor em um determinado período de tempo após o início da trilha, para compreender as mudanças comportamentais de cada colaborador. A eficiência do processo de aprendizagem está mais ligada à qualidade do que a números. Por isso, colher essas percepções auxiliam muito na compreensão dos impactos das ações e análise de melhorias futuras.

Permita a troca de experiência

Apesar da trilha de aprendizagem ter metas bem definidas e alinhadas aos interesses dos colaboradores e da empresa, é importante permitir a troca de experiência em diferentes níveis de conhecimento. Isso abre um leque de possibilidades, criando espaço para novas ideias e opiniões.

Cada indivíduo que faz parte da equipe carrega uma bagagem de experiências profissionais que podem acrescentar, e muito, aos envolvidos. O dia a dia de trabalho ensina muitos aspectos que podem levar anos para serem absorvidos, e permitir essa troca de vivência é muito agregador para os colaboradores e para a empresa.

Fique de olho nas habilidades cognitivas

Estar atento às habilidades cognitivas também é muito importante, tanto para montar quanto para mensurar se a trilha de aprendizagem gera os resultados esperados. É preciso analisar o progresso dos colaboradores durante o treinamento, percebendo a sua capacidade de aprendizagem e memorização.

Fique de olho em como ele absorve a teoria e a coloca em prática, observando as capacidades cognitivas relacionadas ao planejamento e à execução das tarefas, como percepção, foco, raciocínio, memória, lógica, linguagem, estratégias, tomada de decisões e resolução de problemas.

Como foi possível perceber, a trilha de aprendizagem pode ser elaborada de forma customizada para cada colaborador, unindo as ambições da equipe com os objetivos e necessidades da empresa. Dessa forma, os profissionais se mantêm atualizados e qualificados para exercer suas funções, desenvolver suas competências e produzir os melhores resultados para a organização, e todos saem ganhando.

A tecnologia pode ajudar muito nesse quesito, pois traz diversas facilidades e ferramentas que simplificam a aprendizagem, o acesso à informação e o desenvolvimento das habilidades, além de agilizar e flexibilizar os estudos.

O que achou do nosso conteúdo? Para ter acesso a mais artigos sobre aprendizagem corporativa e conteúdos relevantes como este, que tal assinar nossa newsletter? Aproveite para receber tudo em primeira mão.